Em Canela

Requinte histórico

Estação Campos de Canella através dos tempos

Estação Campos de Canella
através dos tempos

1882

A chegada do progresso em canela

João Corrêa Ferreira da Silva, gaúcho de Santa Maria da Boca do Monte, conheceu o Campestre Canella, hoje, município de Canela. A região era inóspita, com pouquíssimas casas, entretanto, o desbravador verificou a possibilidade de trazer o progresso para lá, o qual chegaria por intermédio de uma estrada de ferro.

1884

Concessão autorizada

O empreendedor se muda para São Leopoldo e, assim, a firma João Corrêa e Filhos recebe a concessão e autorização do governo para levar o trem para a região.

1902

A construção da ferrovia se inicia

1903

Abertura do trecho de Novo Hamburgo-Taquara

Finalizado o trecho Novo Hamburgo-Taquara e a abertura da estrada para ligar Taquara e Canela.

1919

Chegada da ferrovia a Várzea Grande

Concluídos mais 21 quilômetros da estrada de ferro, chegando assim até a Várzea Grande.

1921

O trecho até Gramado é inaugurado.

Finalizado o trecho Novo Hamburgo-Taquara e a abertura da estrada para ligar Taquara e Canela.

1921

A linha concluída ligava Canela à capital do Rio Grande do Sul por um total de 58 quilômetros de malha férrea.

1924

Inauguração da estação férrea de canela

No dia 1º de agosto, o assobio imponente do enorme cavalo de ferro rompe o ar e desponta serra do então povoado de Campestre Canella. No dia 13 daquele mesmo mês é inaugurada a estação férrea, conhecida como “Ramal Férreo de Taquara e Canela”.

1926

Turismo em progresso

Nessa época o Campestre já era um ótimo lugar para os negócios e estava ampliando as visitações turísticas.

1963

O apito é ouvido pela última vez

Em 11 de março, o apito do trem é ouvido pela última vez, com a estrada de ferro sendo totalmente desativada.

1964

Em 16 de novembro, é fechado o trecho Novo Hamburgo-Taquara.

1966

É descontinuado o tráfego no trecho restante: Rio dos Sinos-Novo Hamburgo.

1967

Não resta mais nenhum sinal da linha de Canela.

Década de 1970

Crise no turismo

Como consequência, o turismo passou a entrar em crise , pois, apesar de Canela continuar belíssima, não havia mais a projeção de outros tempos. Nessa década a estima dos canelenses começava a ser lançada ladeira abaixo.

Década de 1980

Acreditar no potencial de Canela

José Vellinho Pinto, bisneto de João Corrêa, engenheiro fiscal do Laje de Pedra, é eleito Prefeito de Canela, dando um rumo para a cidade fazendo-a acreditar em seu potencial.

Década de 2017

Iniciam as obras da Estação Campos de Canella, projeto que surge para resgatar esse importante capítulo da história revitalizando a antiga estação férrea e construindo um novo paradouro turístico no coração de Canela.

30 de janeiro de 2019

É inaugurada a Estação Campos de Canella! Em uma noite emocionante, autoridades e comunidade canelense prestigiam o dia que entrou para a história da cidade. De portas abertas, o empreendimento passa a funcionar diariamente já com cinco operações. Até o final das obras, serão 42 lojas em funcionamento.